dezembro 23, 2009

Voltei para o antes.

Carregava comigo minha antiga infância.

E o menino que morava em mim não mais travou suangua.

Continuou a me interrogar sobre coisas impossíveis de responder.

Meu coração, pesado de perguntas,

se agitava, festivo,

ao supor que o tempo é um saboroso presente.

Bartolomeu Campos de Queirós


Anúncios

dezembro 16, 2009

“Saiba que os poetas como os cegos
Podem ver na escuridão”

Chico Buarque e Edu Lobo