dimensão metapoética moçambicana

[…] Era bom

e certeiro, acreditem, esse verso

arisco e difícil, que se soltara

dentro de mim. Mas meu filho

riu e o verso despenhou-se no cristal

ingénuo e fresco desse riso.

Rui Knopfli

Meu verso cínico é minha terapêutica

e minha ginástica […]

Há um sorriso discreto em minha segurança.

[…] meu verso,

como de vós, ri-se de mim em ar de troça.

Rui Knopfli

Pressentimento

espera aí mesmo por mim.
Exilado nos meus versos
vou ter contigo.
Sem falta!

José Craveirinha

Não faz mal.

Voar é uma dádiva da poesia.

Um verso arde na brancura aérea do papel,

Toma balanço

Não resiste,

Solta-se-lhe

O animal alado.

Voa sobre as casas,

Sobre as ruas,

Sobre os homens que passam,

Procura um pássaro

Para acasalar.

Sílaba a sílaba

O verso voa.

Eduardo White


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: